Notícias
 

QUALIDADE DO AR INTERIOR(QAI)

• Porque é que a qualidade do ar interior é importante
• Efeitos de uma pobre qualidade do ar interior
• Factores que afectam a qualidade do ar interior
• Contaminantes interiores
• Fontes de contaminação do ar interior

..............................................................................................................................................................................................

Porque é que a qualidade do ar interior é importante

As pessoas passam cerca de 90% do seu tempo em ambientes fechados. Muitos passam todo o seu dia de trabalho dentro de um escritório, loja, fábrica, ou qualquer outra infraestrutura.

Em alguns ambientes interiores, a má qualidade do ar tem sido apontada como a causa por sintomas físicos e queixas tais como dores de cabeça, irritação dos olhos e tosse. Estes sintomas e queixas podem afectar a saúde, o conforto, a satisfação no trabalho e o desempenho profissional: o Síndroma do Edíficio Doente.

Um relatório de 1995 da Organização Mundial de Saúde, apontava que mais de um terço dos edíficios em países desenvolvidos podem ser classificados como “edíficio doente” e o problema está a agravar-se.
Recentemente as pessoas têm estado cada vez mais atentas a potenciais problemas de conforto e saúde que podem estar associados a uma má qualidade do ar interior.

Em parte isto é devido à estanquicidade dos edíficios, a implementação de programas de conservaçao de energia e ao crescente uso de impressoras laser, fotocopiadoras e outras fontes de contaminação de ar interior. Uma maior consciencialização para problemáticas ambientais também tem dado o seu contributo.

Nos dias de hoje, as pessoas esperam ambientes interiores saudáveis, confortáveis e produtivos. Trabalhadores seguramente terão queixas se se aperceberem que o ar interior do seu edíficio é insatisfatório.

..............................................................................................................................................................................................

Efeitos de uma pobre qualidade do ar interior

Uma pobre qualidade do ar interior pode conduzir a inúmeras queixas ou sintomas. Os mais comuns são:

• Dores de cabeça
• Fadiga
• Problemas respiratórios
• Congestão nasal
• Tosse
• Espirros
• Irritação das mucosas (olhos, nariz, garganta)
• Irritações de pele
• Tonturas
• Naúseas
• Dores musculares
• Dores nas articulações

Apesar de estes sintomas e queixas poderem ser frequentemente atribuídas a constipações, ruído, sobrelotação, luminosidade imprópria, condições ergonómicas e stress profissional, é importante sublinhar que na maioria dos casos é a má qualidade do ar interior o verdadeiro responsável.

Os contaminantes de ar interior afectam mais sériamente algumas pessoas, como por exemplo:

• Pessoas com alergias ou asma
• Pessoas com doenças respiratórias
• Pessoas cujo sistema imunitário está suprimido em consequência de doença ou de um tratamento médico
• Pessoas que usam lentes de contacto
• Crianças e pessoas idosas

..............................................................................................................................................................................................

Factores que afectam a qualidade do ar interior

Inúmeros factores podem afectar a qualidade do ar interior de um edifício ou compartimento, como:

• Disposição física do edíficio
• O sistema de aquecimento, de ventilação e de ar condicionado (AVAC) do edíficio
• Ambiente exterior
• Os ocupantes do edíficio
• Contaminantes no interior e exterior do edíficio

A estrutura física do edíficio e o seu sistyema AVAC determinam o movimento de ar no interior assim como a quantidade de ar fresco exterior que entra no interior do edíficio. Por exemplo, mudando a disposição interna do edíficio erguendo paredes, separadores ou colocando outros obstáculos pode modificar o padrão de circulação do ar e conduzir a uma concentração de contaminantes em determinadas áreas.

O sistema AVAC do edíficio é projectado para distribuir ar exterior através de todo o espaço interno, remover contaminantes e odores, e controlar a temperatura e humidade no interior. Um sistema mal projectado ou com uma manutenção deficiente poderá originar graves problemas da qualidade do ar interior.

O ambiente exterior também pode afectar a qualidade do ar interior, especialmente em climas muito frios ou quentes. Por exemplo, para reduzir os custos de energéticos do sistema AVAC, é comum optar-se por reduzir a quantidade de ar exterior que entra no edíficio. Também a humidade exterior pode tornar difícil o controlo da humidade relativa no interior do edíficio.

As pessoas que ocupam o edíficio são um dos factores mais importantes em termos de contaminação do ar interior. Os ocupantes podem afectar a qualidade do ar através das suas actividades, como por exemplo fumar, fazer exercicío físico, cozinhar, usar cosméticos ou perfumes e usar roupas contaminadas.

..............................................................................................................................................................................................

Contaminantes interiores

Os contaminantes podem ser classificados em cinco categorias, cada uma das quais representa uma larga variedade de poluentes:

• Compostos Orgânicos
• Compostos Inorgânicos
• Matéria Particulada
• Contaminantes Biológicos
• Radiação

Apesar de os poluentes estarem divididos nestas categories, certos contaminantes podem pertencer a duas ou mais categorias, dependendo da sua natureza.
 
Compostos Orgânicos

A classificação de compostos orgânicos representa compostos químicos que contêm ligações carbono-hidrogénio na sua estrutura molecular base. As sua fontes podem ser desde produtos naturais ou sintéticos, especialmente os que são derivados de petróleo, gás ou carvão. Contaminantes orgânicos podem existir sob a forma de gases, líquidos ou particulas sólidas na atmosfera, alimentos e/ou água.

Compostos Inorgânicos

Compostos inorgânicos são aqueles que não contêm a ligação carbono-hidrogénio na dua estrutura molecular base. Estão incluídos o dioxido de carbono, dioxido de enxofre, óxidos de azoto, monóxido de carbono, ozono, metais, amónia e matéria particulada.

Matéria Particulada

Partículas são constituídas por uma mistura complexa de substâncias orgânicas e inorgânicas, com diversas propriedades químicas e físicas. Representam uma larga variedade de substâncias cuja dimensão varia entre os 0.005 e 100 microns em diâmetro aerodinâmico, capazes de ultrapassar as defesas das vias respiratórios, que incluí asbestos, pó, esporos, polén, entre outras toxinas e alergenos. Outro perigo associado a partículas em suspensão prende-se com a possibilidade de serem contaminadas por outros ambientes, aumentando o risco para a saúde de indivíduos que as respiram.

Contaminantes Biológicos

Contaminantes biológicos são geralmente referenciados como micróbios ou microorganismos. Estes contaminantes são micropartículas de matéria viva de diferentes origens. As principais fontes de contaminantes biológicos encontram-se não só no exterior, mas também em ambientes interiores.

A variedade de compostos biológicos que se podem encontar num determinado ambiente, pode ser imensa. Assim sendo, a exposição a crescents concentrações destes agents criam um enorme potencial de risco para a saúde de indivíduos mais susceptíveis.
Contaminantes desde tipo podem ser divididos em três categories:

• Virús
• Bacterias
• Fungos

Radiação

O edíficio moderno tem diversas fontes de energia radiante como campos eléctricos e magnéticos gerados por exemplo por electrodomésticos, computadores e televisores e mais importante pela própria instalação eléctrica. Outras fonts importantes de radiação são fornos de microondas, antenas de telecomunicações e gases do solo ou materiais de construção (radão).

..............................................................................................................................................................................................

Fontes de contaminação do ar interior

Contaminantes do ar interior podem ter origem dentro do próprio edíficio ou no exterior. Estes contaminantes podem originar graves problemas na qualidade do ar, mesmo que o sistema AVAC esteja devidamente projectado, com manutenção adequada e funcionando na perfeição.

Alguns exemplos de contaminantes dentro de um edíficio, são:

• Pó, sujidade ou crescimento de microorganismos no sistema AVAC
• Equipamento de escritório como computadores, impressoras laser e fotocopiadoras
• Mobiliário e carpetes
• Materiais de construção
• Actividades de ocupantes do edíficio
• Actividades de limpeza
• Actividades de manutenção como pintura, envernizamentos e construções
• Derrames ou infiltrações de água ou outros líquidos
• Áreas especiais como de impressão ou laboratórios
• Processos industriais internos

Fontes de contaminação exteriores ao edificio podem incluir:

• Gases de combustão de veículos
• Pólen e pó
• Emissões industriais
• Detritos junto das zonas de admissão de ar para o edíficio
• Exaustão de edíficios e aerossóis

..............................................................................................................................................................................................
Ar Diagnostic ® 2008
powered by: myworx